top of page
  • Foto do escritorAuro Capital

Carta Mensal - Outubro 2023

Outubro foi mais um mês desafiador para os mercados financeiros. As taxas de juros americanas de longo prazo continuaram em alta, reduzindo o apetite dos investidores por ativos de risco ao redor do mundo. Além disso, incertezas geopolíticas trazidas pelo conflito no Oriente Médio, causaram mais volatilidade nos mercados. O resultado foi uma queda da Bolsa americana de 2,2%.


No Brasil, o debate político sobre a meta fiscal foi o tema do mês. O mercado reagiu mal com as declarações de parte importante do governo de não perseguir a meta de déficit zero em 2024, tese defendida pelo Ministro da Fazenda. O mercado já trabalhava com déficits entre 0,8% e 1,0%, porém acredita agora que o número poderá ser ainda pior após essas declarações.


O reflexo principal foi a continuidade do aumento das taxas longas de juros no Brasil e a consequente desvalorização dos investimentos em renda fixa atrelados à inflação. Outra queda relevante foi a Bolsa brasileira (-2,9%), e principalmente as ações de empresas de menor porte (small caps) que se desvalorizaram 7,4% no mês. Os fundos multimercados também tiveram mais um mês de baixo retorno.


A Auro tem uma visão menos pessimista que o mercado, pois a inflação encontra-se em um patamar estável, há uma boa perspectiva de crescimento do PIB e a balança de pagamentos está acima das expectativas. Há também um bom fluxo de investidores estrangeiros entrando no mercado local. Entendemos que as taxas de juros brasileiras longas, com esse aumento recente, são bons investimentos em um horizonte de 6 a 12 meses, com o benefício da queda gradual da Selic. Pelo mesmo motivo, as ações brasileiras também são uma boa oportunidade de investimento, após a recuperação dos resultados corporativos.


Continuamos com um portfólio diversificado e mais conservador no momento. O ano tem tido vários eventos inusitados que afetaram inclusive os investimentos de menor risco: Lojas americanas, guerras, inflação em altos patamares nos EUA, etc. Manteremos investimentos prioritariamente conservadores, porém com algumas oportunidades para uma retomada do mercado quando o cenário se estabilizar um pouco.

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

bottom of page